N. 19 – Belém/PA - Novembro/Dezembro - 2014

Amor, Respeito, Mulheres: quem é contra?

Maria Luzia Álvares

As mulheres não se intimidaram nos momentos de repressão social e política e investiram nos protestos e marchas ancestrais que reivindicavam cidadania política, redução da jornada de trabalho, melhores salários, direito a voto e à educação, direito ao seu próprio corpo e à sua sexualidade, igualdade racial, eixos traduzidos no conceito de diversidade social e cultural. As mulheres, ainda hoje, cruzam os caminhos continuando a combater as injustiças e a requerer o direito de serem tratadas com dignidade.

Compactuando com esse objetivo e acreditando que a voz das mulheres representa um canal de expressão para a melhoria de toda a sociedade, nós do GEPEM/UFPA temos contribuído, por meio de estudos e pesquisas em diversas áreas de conhecimento, para que as lutas sociais incluam em suas agendas as reivindicações atuais desse gênero. Assim, nesta celebração do Dia Internacional da Mulher/2014, nos incluímos no coro mundial para ecoar diferentes versões sobre as mulheres da Amazônia.

Nesta intenção, com apoio do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas e da Faculdade de Ciências Sociais( UFPA), a coordenadora do GEPEM,  Maria Luzia Miranda Álvares, e as associadas Adelma do Socorro Gonçalves Pimentel, Maria Angélica Motta-Maués e Luanna Tomaz de Souza organizaram o evento Amor, Respeito, Mulheres: quem é contra?, com a seguinte programação:

Clique aqui para conferir a programação completa do dia Internacional da Mulher.