N. 19 – Belém/PA - Novembro/Dezembro - 2014

Desenvolvimento Regional na Perspectiva de Gênero

Cynthia Mara Miranda

O Núcleo de Estudos das Diferenças de Gênero (NEDIG), da Universidade Federal do Tocantins(UFT), promoveu no início de fevereiro/2014, o I Simpósio Internacional Desenvolvimento Regional na Perspectiva de Gênero, no campus da UFT em Palmas. O simpósio é parte de uma pesquisa em andamento financiada pela Secretaria Especial de Políticas para Mulheres e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) “Desenvolvimento: caminhos a partir do olhar das mulheres”. A pesquisa tem como objetivo compreender o papel das mulheres no desenvolvimento regional, mediante estudo de oito municípios: quatro localizados no estado do Tocantins; e quatro,  no estado do Amazonas. A coordenadora geral da pesquisa é a professora Cynthia Mara Miranda, do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da UFT; e no Amazonas, a coordenadora da pesquisa é a professora Milena Fernandes, do curso de Serviço Social da Universidade Federal do Amazonas, campus de Parintins.

As discussões sobre o desenvolvimento fazem parte dos grandes temas da sociedade moderna. Atreladas a este conceito, desenvolvem-se nas esferas governamental, acadêmica e dos movimentos sociais reflexões sobre os vários tipos de desenvolvimento, quais sejam: econômico, social, cultural e, ainda, sobre alternativas às problemáticas socioambientais. No simpósio, o foco dado para a discussão sobre o desenvolvimento incorporou a perspectiva de gênero e educação. O evento reuniu mais de 200 pessoas, sendo o público-alvo as alunas do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR), de vários municípios do Tocantins e que cursam o ensino superior nas férias.

A palestra de abertura do simpósio foi ministrada pela professora Olaya Guerrero, da Universidade de La Rioja (Espanha), e teve como tema o empoderamento de gênero como estratégia para o desenvolvimento. Guerrero destacou que toda cultura está repleta de estereótipos de masculino e feminino que contribuem para a subordinação feminina. Assim, quanto mais cedo começar o processo de formação de consciência para a igualdade entre os gêneros, melhor. "A construção das identidades masculina e feminina começa desde cedo, e por isso é tão importante que o processo de igualdade de gênero se dê no início da educação do ser humano", afirmou, complementando que os preconceitos de gênero podem mudar por meio da educação.

A programação do simpósio contou com mesas, oficinas e palestras. Para a organizadora geral do evento, professora Cynthia Mara Miranda, o simpósio superou as expectativas e ajudou a fortalecer e dar visibilidade ao Núcleo de Estudos das Diferenças de Gênero, o qual  é coordenado pela professora Temis Gomes Parente.

  • Sobre o NEDIG

O Núcleo de Estudos das Diferenças de Gênero institucionalizado pela UFT, em 2008, por meio da Portaria nº 252, integra pesquisadoras de diferentes cursos de graduação e pós-graduação da UFT. Ao longo da sua criação, o NEDIG a partir do estudo das chamadas relações de gênero tem ampliado suas linhas de pesquisa, destacando-se no estudo do desenvolvimento regional na perspectiva de gênero que foi tema central do presente simpósio. Nesses últimos anos, os membros do núcleo participaram ativamente (por intermédio de suas pesquisadoras) de congressos, encontros e seminários nacionais e internacionais, nos quais suas pesquisas foram difundidas, juntamente com o nome da UFT/TO e das instituições financiadoras. A participação em congressos internacionais tem contribuído para a inserção internacional do núcleo que recebeu, em 2011, a pesquisadora visitante Olaya Guerrero, da Universidade de Rioja (Espanha). Desde  sua criação, vários projetos foram aprovados em linhas de fomento, como o CNPQ, CAPES e Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres.

Cynthia Mara Miranda é Doutora em Ciências Sociais/UnB e Professora Adjunta do curso de Comunicação Social/UFT e do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional